Como pode me amar, Deus?

Deus, depois de tudo que fiz…

Deus, depois de tudo que falei…

Deus, depois de tudo que pensei de ruim…

Deus, depois de desistir de tantos planos bonitos…

Deus, depois de dizer “não” a tantos conselhos que eu deveria ter seguido, mas não segui…

Deus, depois de fingir que não estava ouvindo a sua voz e entendendo o seu conselho…

Deus, depois de pecar tantas vezes…

Deus, depois de ter reclamado, murmurado e blasfemado tantas vezes…

Como pode me amar? Como ainda assim pode me amar?

Como depois de tudo que fiz pode me amar?

Como pode ter me dado uma nova chance?

Como pode ter confiado que eu mudaria?

Como pode ter acreditado em mim quando ninguém mais acreditou?

Depois de ter me perdido longe do pasto ainda assim me resgatou.

Depois de falado palavras tão feias, ainda assim me amou.

Depois de reclamado de coisas que o Senhor já estava resolvendo, ainda assim me perdoou.

Como ainda assim pode me amar?

Tão fraca, abatida, exausta e triste. Ainda assim escolheu alegrar a minha alma abatida.

Tão insatisfeita, frustrada, arrependida e irada com tantas coisas, pessoas e situações, ainda assim cuidou de mim.

Caindo me segurou e me amou. Chorando e gritando de desespero, me acalmou. Irritada e impaciente, me abraçou.

Como ainda assim pode me amar?

Se choro me conforta. Se perco me restitui. Se ninguém vê valor em mim e no que faço, o Senhor reconhece e recompensa. Como ainda assim pode me amar?

Dobro o meu joelho nas madrugadas difíceis e no silêncio do me quarto eu te chamo pra perto de mim. Eu digo baixinho: Segura o meu coração que estou caindo no fundo do poço e tudo que vejo é escuridão, fracasso, derrota, medo, ansiedade e eu imploro que me ajude a ver a tua luz, a tua chama, a tua unção, a tua graça caindo sobre mim.

Enquanto a minha alma chorava nas fases dolorosas o Espírito Santo poderoso do Senhor me visitou, me abraçou, me confortou e me fez voltar pra perto de ti.

E sempre que entre lágrimas eu me encontrava eu me recordava das tardes de verão de riso solto, gargalhada alta e da tua presença que me fazia crer o quanto valiosa, amada e especial sempre fui aos teus olhos.

Como pode me amar, Deus? Como pode amar quem achou que o Senhor demorou responder, resolver, transformar e me dar paz? Mesmo conhecendo as frustrações do meu coração, ainda assim me amou.

Mesmo quando fui cega, ingrata e chata, ainda assim me amou. A tua palavra me curou e segue me curando.

O teu abraço me deu alívio e segue aliviando. A tua mão me levantou e segue me levantando. Me pega nos teus braços mais uma vez, pois preciso tanto de ti hoje.

Me abraça forte, pois em teus braços me sinto segura. Sei que um pai prepara o seu filho para voar e eu quero voar.

Voar na direção da cura da minha mente, do meu coração, do meu corpo e do meu espírito. Voar na direção dos teus braços e repousar sobre a firme rocha que o Senhor está.

Que do alto me veja. Que do chão eu te adore. Que no silêncio do Senhor eu entenda que grande é a tua misericórdia e perfeito é o teu amor por mim.

(Espontâneo da fé – Receba áudios – 63-9-8145-3444)

Recomendo o vídeo:

Autor: Sú Cursino

Oi. Sou a Suélen, conhecida como Su Cursino nas redes sociais. Fundadora da Jornada Espiritual - Plataforma - sucursino.com Produtora de conteúdo na Hotmart - Livros e audiobook Criadora de conteúdo motivacional e espiritual - Youtube Criadora de conteúdo de saúde mental, emocional e espiritual no Pinterest Escrevo aqui no blog duas vezes por semana. Entre uma coisa e outra eu como pão de queijo, solto boas risadas, faço cafuné gostoso nos meus bichos, aprecio as flores no meu quintal e aprendo como desfrutar da vida diária com fé, esperança e amor.

Deixe um comentário