Vamos falar um pouquinho sobre frustração?

A mensagem de hoje é um convite direto ao seu coração: Vamos falar um pouquinho sobre frustração?

No texto a seguir você vai ler um pouco sobre uma fase da minha vida, longa por sinal, em que eu identificava uma certa frustração com coisas que sozinha eu não estava conseguindo mudar ou melhorar.

Compartilho um pouco da minha caminhada emocional e espiritual olhando pra dentro em busca de descobrir que vazio é esse tão incomodo que gritava alto dentro de mim. 

Vamos falar um pouquinho sobre frustração?

Durante algum tempo eu olhava para determinados departamentos da minha vida e me sentia de certa forma frustrada. Eu procurava identificar o que estava faltando. 

Sinceramente, não encontrei a minha resposta facilmente. Foi uma das viagens mais longas que fiz pra dentro de mim.

Sabe àquelas perguntas: Quem eu sou? Do que eu sou capaz? Será que eu aguento? É mais ou menos nesse rumo que a minha caminhada de conhecer um pouco mais sobre quem eu sou quando ninguém estava me olhando.

Quem sou eu quando ninguém está me observando?

Eu observava a minha vida e notava que ela não estava fluindo como eu gostaria ou de acordo com o que eu havia desejado ou planejado.

  • Você já se sentiu assim em algum momento? Diga que sim, por favor!

Com o passar do tempo descobri que a minha frustração era fazer as coisas do meu jeito e não do jeito de Deus. Era me convencer de que eu era livre para fazer minhas próprias escolhas e escrever a minha história. Triste engano!

Nessa caminhada, aprendi tantas coisas como vivenciar o agir de Deus, sentir a presença de Deus cuidando, protegendo e livrando minha vida da dor, do fracasso e do arrependimento.

Nessa caminhada, deixei de lado fardos que eu carregava que sinceramente não deveria carregar.

Comecei a sentir leveza na alma e seguir a caminhada sabendo que estava sendo observada, sondada, transformada, lapidada e quebrantada pelas mãos celestiais de um Deus que me ama demais para permitir que eu sinta frustrada.

O que Deus fez com as minhas frustrações?

Eliminou uma por vez e eu me senti preenchida. Nada me faltava. Deus colocou diante dos meus olhos tudo que eu falei que queria, tudo que eu manifestei e desejei. Isso é surreal, é surpreendente e mágico!

E como Deus sempre capricha, ele me deu muito mais do que pedi.

E, também foi Deus que me fez perceber algo forte: Eu não me sentia frustrada com a minha vida.

Eu me sentia frustrada por não ter encontrado “ainda” um sentido maior para a minha presença aqui na terra.

Sempre falei pra minha mãe: Eu não quero ser mais uma filha de Deus que só come arroz e feijão.

Eu descobri que é o sentido da minha vida era o outro, ou seja, surgiu um desejo forte em meu coração de ser útil ao meu próximo. Então, as perguntas mudaram na minha mente e no meu coração.

Comecei a trilhar uma jornada em busca de construir algo, fazer a diferença, estender a mão, socorrer pessoas, alimentar o faminto, saciar a sede do sedento, ou seja, fazer alguma coisa útil.

Foi chocante quando a ficha caiu. Eu estava trilhando uma jornada individual em que a minha vida era mais importante que a vida do outro.

Eu estava focada em me conhecer primeiro e depois o que eu iria fazer para não seguir frustrada.

Mas Deus limpou os meus olhos e me fez contemplar a dor do outro, o problema do outro, a dificuldade do outro e desde então eu batalho, me empenho, estudo meios e mecanismos de como fazer a diferença na vida de uma, duas, três ou milhares de pessoas.

Às vezes, pensamos que para ajudar alguém precisamos de grande quantidade de dinheiro ou muita influência para levantar fundos ou doações.

Mas quando se quer, de fato, começar um trabalho de fé pensando no outro, pequenos gestos fazem toda a diferença mesmo. 

Assim, comecei a curar a minha frustração e descobri que a vida é mais bonita e divertida quando se dá sentido a ela. E eu dei. Estou dando.

Quando eu olho pra frente eu vejo uma estrada cheia de verde, de cheiro de jasmim, de dias de sol de frente para o mar, de um manancial de bênçãos e milagres de Deus.

O meu caminho é simples, o meu andar não é apressado, o meu tempo passa tão rápido como o seu. A diferença é o que eu me proponho a fazer, enquanto você senta e só reclama. 

Chega o dia em que você tira os olhos de si mesmo e enxerga a vida com os olhos cheios de fé, esperança e confiança de que pode fazer muito mais do que pensa. E eu sou essa pessoa.

 

Deixe um comentário